terça-feira, 11 de junho de 2013

A DITADURA FEMINISTA ESTA FODA




Femme De La Rue O Ridiculo Documentario da Ditadura Feminista       









As cenas mostram uma sucessão de homens abordando a jovem à medida que ela avança em seu caminho pelas calçadas e parques. Um deles diz que ela é “linda”. Outro, simplesmente a cruza na calçada, vira o rosto em sua direção e a chama de “vadia”

Uma jovem belga de apenas 25 anos decidiu gravar o que ouvia dos homens enquanto caminhava pelas ruas de Bruxelas – e principalmente de sua vizinhança, em um bairro pobre da cidade. O resultado foi o documentário Femme de la Rue (Mulher da Rua, em tradução livre).
Com uma câmera escondida, Sofie Peeters registrou o assédio sexual e os insultos que sofria enquanto caminhava pela capital belga.

documentário belga assédio femme rua

Documentário abre debate sobre assédio sexual nas ruas europeias. Sofie Peeters (foto) fez o documentário “Femme de la Rue”, em que grava cantadas e o assédio sexual que sofria ao andar pelas ruas. 
Inicialmente pensado como trabalho de conclusão de seu curso de cinema, o documentário acabou suscitando um debate sobre a violência sofrida por milhares de mulheres todos os dias e ultrapassou as fronteiras da Bélgica.

A maioria das imagens do assédio sofrido por Sofie foi gravada em Anneessens, um bairro pobre de Bruxelas, onde a jovem mora há dois anos. O bairro tem uma grande população do norte da África, de países árabes e muçulmanos – e a maior parte dos homens gravados realmente era de origem norte-africana. Por isso, Peeters foi acusada de racismo por alguns críticos.
As cenas mostram uma sucessão de homens abordando a jovem à medida que ela avança em seu caminho pelas calçadas e parques da capital belga. Um deles chega pelas suas costas, dizendo que ela é “linda”. Outro, simplesmente a cruza na calçada, vira o rosto em sua direção e a chama de “vadia”.
Em outra sequência, Sofie passa em frente a um bar, com mesas na calçada. Um homem diz que “se ninguém fizer um elogio, ela vai se sentir mal”. Em outra cena, um rapaz a convida para beber algo em seu apartamento. Diante da recusa, ele insiste e diz que Sofie o deixa “com vontade”, o que faz com que seja “normal” abordá-la daquela maneira.
“Acho que a primeira coisa que uma mulher se pergunta é: ‘Sou eu? Foi algo que fiz? São as minhas roupas?’”, contou a jovem, em uma entrevista à emissora de TV belga RTBF que já foi vista por mais de um milhão de pessoas no YouTube. O filme mostra, ainda, testemunhos de outras vítimas de assédio nas ruas da cidade.

A Bélgica adotará medidas para diminuir a violência verbal sofrida pelas mulheres. Uma lei que deverá entrar em vigor em setembro prevê multas por assédio sexual na rua.

Sofie Peeters decidiu deixar Bruxelas e voltar a viver em uma cidade menor, no interior do país.

Post retirado do site: http://www.pragmatismopolitico.com.br

FUDEU VAI ACABAR PAQUERA, CONQUISTA, JOGOS DE SEDUÇÕES, REPRODUÇÃO HUMANA NATURAL !

Um comentário:

  1. Não cara, a reprodução humana natural não vai acabar só porque uma parte das mulheres já cansou de ser mal tratada,ou mal vista somente pelas roupas que vestem, ou porque "escolheram" o lado errado da rua para caminhar, ou esqueceu de desviar do buteco, ou porque esqueceu de desviar de um terreno em obras, ou porque sem querer sentou-se no parque e esqueceu de reparar que ao lado tinha "muitos homens". Ser tratada com educação e não com selvageria, não é pedir muito, não precisa ser criado um ciclo de drama a respeito de um direito que é de tod@s.

    ResponderExcluir